quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

John Gorrie


Talvez você nunca tenha ouvido falar em John Gorrie, mas certamente irá concordar que a vida no planeta seria bem menos confortável sem as suas criações.

Nascido em 1803 na cidade de Charleston, Estados Unidos, Gorrie foi um médico que teve a ideia de pendurar sacos de gelo nas salas do hospital onde atuava, na tentativa de diminuir a febre alta de seus pacientes.

Em 1850 ele foi mais além. Usando de seus conhecimentos de física, criou uma máquina a vapor que produzia gelo. De uma só vez ele deu origem à geladeira e ao condicionador de ar. A primeira apresentação pública de sua invenção foi no dia 4 de julho de 1850.  A base do sistema de seu aparelho é utilizado até hoje com a principal diferença de o vapor ter sido substituído pela energia elétrica. 

Qual a invenção mais importante?

A geladeira nos possibilita fazer compras com antecedência, preservam alimentos a 4 graus Celsius ou menos, impedindo o crescimento de bactérias patogênicas e a deterioração durante vários dias ou semanas. Outras possibilidades são a preparação de alimentos de forma antecipada e o aproveitamento de sobras para refeições posteriores.

Por outro lado, o forte calor fez com que o Google registrasse no mês de janeiro um recorde de pesquisas pelo título "ar condicionado". No sul do país, o verão mais quente dos últimos 70 anos também motivou um recorde nas vendas do eletrodoméstico.

Dos modelos mais antigos aos mais modernos, estes dois fantásticos aparelhos na época em que foram criados não chamaram atenção o suficiente para impedir que o grande John Gorrie morresse pobre.  

Fontes:

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Fazendo A Diferença: Projeto Gatos dos Molhes


Em um dos cartões postais da cidade catarinense de Laguna, por anos vêm acontecendo o abandono de animais, principalmente gatos, por seus antigos tutores. 

É provável que o Molhes da Barra tenha sido o lugar escolhido por não haver residências tão próximas e também por sempre haver alguns pescadores que vez ou outra acabam alimentando parte dos amimais com os peixes ali pescados.

Além dos gatos que lá são deixados há ainda a questão da reprodução que só faz aumentar o grupo. Para sobreviver, a espécie briga entre si e sofre ainda maus tratos por parte de alguns frequentadores do local.

Com o intuito de amenizar o sofrimento dos felinos surgiu em janeiro de 2014 o projeto Gatos dos Molhes. A ideia é resgatar, dar tratamento, fazer a castração e conseguir um lar definitivo. Por não ter espaço próprio o projeto conta com lares temporários e doações para a realização das castrações e compra de alimentos.

Por não ser o Molhes o lugar exclusivo desta prática, o projeto acabou se estendendo por toda a cidade.

Para conseguir se manter o Gatos dos Molhes promove eventos como café colonial, venda de camisetas, canecas, pantufas e rifas. 

Até o momento, já foram resgatados e castrados 104 gatos. 

Para saber mais sobre o projeto visite a página "Gatos dos Molhes - Laguna SC" no facebook ou o blog http://gatosdosmolhes.blogspot.com.br/

Para doações utilize a agência 0421 - conta 00109022-5, operação 013.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Mas... E Depois Que O Natal Passar?


No final do primeiro semestre deste ano, recebi a missão de iniciar um projeto social. A ideia era colaborar com alguma instituição sem fins lucrativos ou com alguém que estivesse precisando de algum tipo de auxílio.

Para isto, eu precisava também buscar parceiros que se disponibilizassem a contribuir de alguma forma com este projeto.

Bem, visitei uma instituição que atende crianças carentes e me comprometi com a responsável, em, no mês de dezembro, levar alguns presentes para as crianças.

Com o passar do tempo acabei conseguindo o apoio de algumas pessoas. Um mês antes de levar as doações, liguei para a responsável pela instituição e durante a conversa percebi que os mesmos estavam passando por grandes dificuldades, então, resolvi que deveríamos antecipar a entrega e doar algo que seria mais útil para o momento do que os presentes que seriam doados na época do natal.

Acho que foi uma decisão acertada. Há alguns dias, eu soube que a instituição recebeu várias visitas com diversos presentes para as crianças.

No final de tudo isto tive uma ótima notícia e um grande aprendizado.

A ótima notícia é que das poucas pessoas que colaboraram, três manifestaram o desejo de continuar ajudando no projeto. Entendo que isto é algo tão importante ou até mais importante do que a própria doação.

E o aprendizado que tive é que não devemos focar somente no natal como época para auxiliar alguém e que nem sempre o que estamos pensando em doar é algo que realmente as pessoas precisam.

É importante que estejamos sempre dispostos a ajudar independentemente da época e que lembremos sempre que caridade não se restringe a doações materiais. Existem pessoas que só precisam de um sorriso, um abraço ou alguém que apenas os ouça. 

Pensemos nisto.